Sou Carlos Alberto Yates, técnico em mecânica. Nasci em março de 1958 e sou estudioso da Doutrina filosófica Racionalismo Cristão.Tenho grande interesse em assuntos que envolvam UFOs e agroglifos pois consigo fazer uma interação entre estes assuntos e a Doutrina que professso. Pesquiso e retiro dados dos seguintes sites: Livros Racionalismo Cristão 43ª edição e A Vida fora da Matéria; Lucy Pringle; UFOLOGIA-Brasil.

Círculo com cubos ao centro - Por Carlos Alberto Yates


Estudo 19 - Agroglifo construído em agosto de 2007 em Upper Upham, Wiltshire, Inglaterra.

Temos nesta figura 4 círculos concêntricos em cada um dos quais existem 36 triângulos. Se multiplicarmos 36 por 4, obteremos 144. 
Fonte:Lucy Pringle
Se dividirmos 144 por 18, que é a quantidade de cubos do interior da figura obteremos 8 que para mim significa a lógica, lógica do infinito, lógica de tudo que veremos nesta figura.

Vemos que ao centro desta bela figura temos de um lado 7 cubos e de outro lado também 7 cubos, separados por quatro cubos centrais. Estes 7 cubos, de cada lado de uma linha central imaginária, representam os sete tipos de mundos que existem no universo.

Podemos também “visualizar” um triangulo de lados iguais e duplos (sobrepostos) compostos de 7 cubos de cada lado, onde mais uma vez vejo uma referencia à situação ideal de 3 séries completas com 7 tipos de mundos.

Se observarmos de outra forma, mais direta vamos ver que existem 18 cubos o que nos remete à situação de 3 séries incompletas com 6 tipos de mundos cada uma, ou uma referência à 3 mundos classe 6 semelhantes à Terra.

Para ter-se a situação ideal cada planeta de 6ª categoria de cada série incompleta deverá contatar um planeta primitivo classe 7.

Também podemos dizer que 7 + 4 = 11, o que seria uma referência aos 11 atributos do espírito os quais ele tem que desenvolver nas muitas reencarnações.

Observemos também que todos os cubos do desenho(que representam mundos) nos apresentam 3 faces o que mais uma vez entendo como uma indicação de existem 3 mundos de categoria semelhante para cada tipo de mundo ou categoria de mundo, sendo um mais atrasado, um mediano e outro que vai a frente na evolução, tal como desenhado em cada “anel” no grande “8” de agosto de 2008, e como um cubo tem 6 lados entendo que evoluímos atrelados a 6 séries de planetas, sendo portanto o cubo um representante destes 6 mundos similares em evolução, sendo que 3 são os mais próximos, ou seja os pertencentes às 3 séries do mesmo anel do citado grande “8".

Percebemos também que a soma dos triângulos de dentro de cada círculo concêntrico é 36 de onde podemos tirar a soma: 3 + 6 = 9, e como são 4 círculos temos 9 x 4 = 36.

Agora se somarmos 36 + 18 cubos do centro da figura obtemos 54, logo temos 5 + 4 = 9, ou seja uma referência aos 3 mundos de vida espiritual Brancos (3º), Diáfanos (2º), e de Luz (1º)) de cada série e como são 3 séries temos 9 mundos no total.

É também evidente que nos lados duplos do triangulo central, que se forma com os 18 cubos, existem no lado de fora do triangulo, a circundá-lo pois, um total de 9 cubos que são a representação dos mundos mais evoluídos ou seja os 9 planetas que já não tem vida física que englobam hierarquicamente os outros 12 dos 3 lados internos. Agora se somarmos 36 + 21 = 57 de onde deduzimos que 5 + 7 = 12.

Ou seja se somarmos o 36 mais 21 (quantia que nos aparenta o triangulo com seus 3 lados duplos), temos representados os 4 mundos de vida física de cada uma das 3 séries e como são 3 séries temos 12 no total, são os mundos primitivo (7º), escola (6º), Materializado (5º), e Opaco (4º).

Então temos representado aí uma situação real com 18 mundos, divididos em 3 séries, e uma situação ideal com 21 mundos nas 3 séries onde cada mundo escola já teria contatado um mundo primitivo.

Voltando aos anéis concêntricos com 36 triângulos cada um, vemos que os triângulos tornam-se maiores quanto mais externo for o anel.

A meu ver isso representa 24 séries de 6 planetas, portanto séries incompletas pois 24 x 6 = 144.

Os triângulos maiores são das séries mais evoluídas, que são as do anel mais externo. Temos aí que 36 : 6 = 6, ou seja temos representadas em cada anel 6 séries incompletas que evoluem atreladas três a três.
Fonte: Lucy Pringle
Lembremos que no grande “8” estão representadas 6 séries completas com 7 tipos de mundos. Concluindo acredito que este agroglifo mais uma vez faz menção às inúmeras séries de mundos que temos no universo, e retrata o movimento evolutivo planetário com a representação de conjuntos de mundos mais e menos evoluídos.

Como estão retratadas 24 series de 6 tipos de mundos cada uma, temos que as mesmas, para ficarem completas com 7 tipos de mundos estão na dependência de um contato que deverão fazer cada um dos 24 mundos classe 6 com 24 planetas primitivos classe 7.

Isso nos remete ao agroglifo de Milk Hill de agosto de 2001 na Inglaterra onde segundo analisei, todo planeta classe 6 deverá sempre contatar um mundo primitivo ou classe 7.

Por aí devemos calcular como deve ser grandioso o movimento de naves interplanetárias das quais somente temos algumas poucas visitas aqui na Terra. Por outro ponto de vista podemos entender, agora, que os 4 círculos concêntricos representam do mais externo ao mais interno os mundos: 6 (escola), 5 (materializado),  4 (opaco), 3 (branco) e por fim no círculo mais ao centro teríamos então a representação do mundo Diáfano (2) pois como sabemos a 1ª categoria espiritual admitida neste mundo é a 18ª e temos neste círculo mais interno 18 cubos que neste caso passariam a representar 18ª categoria espiritual.

Como temos a representação de 5 mundos podemos notar que nesta nova maneira de analisar não estão representados os mundos primitivo (7º) que é o mais atrasado e o De Luz Puríssima (1º) que é o mais adiantado.Por outro lado temos como sabemos 36 triangulos repetidos por 4 vezes num total de 144.

No grande “8” de agosto de 2008 temos a representação, nos dois anéis, de 42 mundos. Se tirarmos destes 42 o mundo primitivo de cada série, sendo que são 6 séries no total e 1 mundo primitivo por série temos então 36.

E como neste grande “8” de agosto de 2008 além dos 42 círculos existem mais os sinais externos e internos aos anéis, estes representando os de menor evolução e aqueles os de maior evolução, num total de 42 também, podemos dizer que o total real de mundos ali representados seja na verdade 84 ou 12 séries de 7 planetas.

Mas se tirarmos, também, destes 42 sinais os 6 planetas primitivos, sendo 1 de cada série, temos novamente 36. Então temos na verdade, sem os mundos primitivos, representados no grande “8” um total de 72 mundos, e com os 12 mundos primitivos temos 84 mundos.

Agora se analisarmos novamente o agroglifo acima vemos então que, em cada 2 anéis com 36 mundos cada um está representado 1 grande “8”, sendo então que em 144 triângulos ou 4 círculos concêntricos acima estão representados então 2 grandes “8”, sendo que, neste caso, todas as 12 séries de cada “8” são formadas por 6 mundos, ou seja são séries que não possuem seu mundo primitivo ainda.

Outro cálculo que se pode fazer é: Temos em cada 2 círculos concêntricos, como vimos, uma quantia equivalente a um grande “8”. Então temos aí 2 x 8 = 16, pois são 4 círculos concêntricos. Se somarmos à esta quantia os 14 círculos cubos do centro temos 30.

Agora, se subtrairmos de 21 a quantia de 18 temos 3, que se somados aos 30 nos da uma referencia às 33 categorias espirituais. Temos 5 trilhas de trator e 4 faixas de cereal plantado que somados perfazem 9 numa alusão aos 9 mundos de vida já somente espiritual presentes em 3 séries de 6 ou de 7 tipos de mundos.

Se, através da “ilusão de ótica” temos 21 cubos ao centro que mostram 3 faces fizermos 3 x 21 = 63, e somarmos isto aos 9 da soma das trilhas e faixas de cereal obtemos 72 ou 6 séries de 6 tipos de planetas.

Círculo com Cubos ao Centro
Por Carlos Alberto Yates