Sou Carlos Alberto Yates, técnico em mecânica. Nasci em março de 1958 e sou estudioso da Doutrina filosófica Racionalismo Cristão.Tenho grande interesse em assuntos que envolvam UFOs e agroglifos pois consigo fazer uma interação entre estes assuntos e a Doutrina que professso. Pesquiso e retiro dados dos seguintes sites: Livros Racionalismo Cristão 43ª edição e A Vida fora da Matéria; Lucy Pringle; UFOLOGIA-Brasil.

O grande besouro e as 7 categorias de mundos - Por Carlos Alberto Yates

Estudo 21 - Esta figura foi desenhada pelos aliens em Barbury Castle, Wiltshire, UK, em Julho de 1994.

O besouro tem o corpo formado por 5 círculos, sendo que o último, que está no lado oposto às suas “anteninhas” na cabeça, situa-se com uma pequena parte para fora de um grande círculo onde seu corpo na maior parte se insere.

Este grande círculo termina tangenciando os “olhos” dele.
Fonte: Lucy Pringle
Se considerarmos que este grande círculo delimita algo do tipo “planetas que detenham atividades predominantemente com a ação da força já como espírito sobre a matéria densa”, ou seja planetas cuja civilizações ainda trabalham com a matéria atômica, isto pode nos dizer algumas coisas.

Conforme nos mostra o livro “Racionalismo Cristão” existem 6 tipos de planetas todos sujeitos a mudarem de categoria evolutiva, sendo que a última e mais evoluída das categorias é a de mundo de Luz Puríssima, onde segundo entendo, após efetuada a sua evolução este mundo desintegra-se, como se fosse um espírito que, ao desencarnar volta ao seu mundo de origem (estágio) e a matéria volta ao solo para novamente ser utilizada em outras composições, que então no caso de um planeta.


A matéria atômica deste volta ao repositório natural que é o universo, e os espíritos que davam vida àquele planeta evolam-se à uma condição de progresso, sabedoria e poder que nos é impossível ainda definir mas que se aproxima em muito da Inteligência Universal, onde os Valores tendem ao Absoluto. Então como dizíamos existem: 1º) mundos de Luz Puríssima, 2º) mundos-Diáfanos, 3º) mundos-Brancos, 4º) mundos-opacos, 5º)mundos-materializados, 6º) mundos-escolas, lembrando aqui que esta classificação refere-se à atmosfera psíquica destes mundos.

Como não poderia deixar de ser é condizente com o nível de esclarecimento de seus habitantes, os quais vão alterando o seu entendimento da vida e dando vazão as ações com base nos valores do espírito e conquistando justamente um maior alcance intelectual, conseguindo transformar a matéria com que necessariamente trabalham no planeta, em algo cada vez mais sutil, incluindo aí seus próprios corpos físicos.

Temos também o 7º planeta ou mundo-primitivo, voltando então àquele grande círculo que circunda o corpo do besouro, vemos que o último círculo que perfaz o seu corpo na parte oposta à sua cabeça, está com uma parte de sua circunferência ainda fora do referido grande círculo.

E isto deve-se, a meu ver, a que aquele último círculo, que como vemos representa um planeta, está apenas agora adentrando na categoria onde ele virá a se tornar útil ao espírito, ou seja este planeta é o planeta-primitivo que já está em condições de receber a força na categoria de espírito e muito provavelmente nele já existam embriões de agrupamentos humanos.

Portanto o mundo primitivo está, com a chegada em sua superfície das duas primeiras categorias espirituais, adentrando ao círculo maior que envolve o “corpo” do besouro. Fora deste grande círculo temos os dois “olhos” que representam um mundo de categoria diáfana e mais as “anteninhas” que representam o mundo de Luz Puríssima.

Estes dois mundos já não atuam na matéria densa, pois sabemos que no mundo Diáfano só habitam espíritos a partir da 18ª categoria e no mundo de Luz Puríssima somente habitam espíritos a partir da 26ª categoria espiritual.

Então vemos neste desenho a evolução planetária em marcha pois enquanto um mundo-Primitivo está se aprontando para se tornar mundo-escola na outra ponta um mundo de Luz Puríssima está terminando a sua participação no universo e o mundo-Diáfano está se aprontando para tomar o lugar que vagará. 

Quanto às “patas” do “besouro” podemos dizer que: as mais da frente estão abertas aos mundos que perfazem os “olhos” e as “antenas” como que querendo nos mostrar que o mundo-Branco(3º), de onde saem as “patas” está pronto para receber os conhecimentos e atividades vindas dos 2 mundos que lhe estão a frente. Ou seja o mundo branco já atingiu um tal estado de evolução que apronta-se para sair para fora do “círculo de utilização da matéria densa” pois já passa também a interagir mais fortemente com os mundos que lhe estão à frente, mais propriamente com o mundo diáfano que por sua vez está mais próximo do mundo de luz puríssima.

A posição das “patas” da frente também nos pode indicar que o mundo-Branco está adentrando ao conhecimento mais profundo da força e da matéria astral, diafanizando suas atividades para conseguir alçar a posição, no futuro, de um mundo diáfano, pois estas “patas” saem para fora do grande circulo de “utilização da matéria densa” e coloca-se já numa posição de aptidão para receber, abraçar os conhecimentos mais adiantados dos mundos que lhe vão a frente.

As “patas” do centro me mostram que o mundo-Branco já domina todo o conhecimento da matéria tanto atômica quanto astral do seu mundo para trás e, como ela sai um pouco para fora do grande círculo de utilidade da matéria densa eu acredito que comece aí, neste mundo, o domínio de atividades com maior grau de diafanização, exatamente por ver expresso no desenho que a “pata” central sai do “domínio da matéria densa” e começa a adentrar no domínio da matéria universal ou fluidica, localizada fora do grande círculo.

E o terceiro par de “patas” me indica que o mundo branco domina todas as atividades materiais do seu mundo para trás e podemos observar, se o projetarmos mentalmente, que o círculo que estas “patas” fecham cobre exatamente até o mundo-Escola.

Isto a meu ver denota que este mundo- Branco domina as diretrizes das ações de todos estes mundos, ou seja ele é em suma o grande responsável pela administração das ações coordenativas evolutivas de todos os demais mundos atrás de si: ou seja, rege o mundo-Opaco (4), este rege o mundo- Materializado (5), este rege o mundo-Escola (6) e este regerá o mundo-Primitivo (7), sendo que as diretrizes maiores, os desígnios serão dados pelo mundo Branco.

Isto é apenas uma “hierarquia” em que se atrelam os planetas em evolução em uma série de 7 mundos. No meu modo de entender o mundo-Branco é exatamente o meio do caminho pois administra da 12ª a 17ª categoria espiritual sendo que os dois outros mundos mais evoluídos administram as outras 16 categorias.

Os mundos são criados para a evolução das partículas, que se desprendem da Inteligência Universal eternamente, portanto eternamente haverá o ciclo de criação de mundos e sua evolução bem como dentro desta evolução haverá a evolução das partículas.

Lembro que mais uma vez vemos em um desenho a representação de 7 planetas, sendo que o mundo de Luz Puríssima já aparece como sendo quase como o 8º lugar, exatamente por estar após os dois mundos Diáfanos e também porque praticamente está adentrando ao universo da Força onde impera a lógica absoluta.

Temos 5 trilhas de trator e 4 faixas de cereal plantado. Com as trilhas são duplas podemos fazer 5 x 2 = 10 e somando 4 obtemos 14 numa referência às 2 séries de 7 tipos de mundos que evoluem atreladas mais proximamente.

Se considerarmos as trilhas como sendo apenas 5 e somarmos 4 obtemos 9 numa referência aos 9 mundos de vida já somente espiritual presentes em 3 séries de 7 ou de 6 tipos de mundos.

O grande besouro e as 7 categorias de mundos
Por Carlos Alberto Yates